sábado, 28 de abril de 2007



É do melhor que há
Não deixa marcas vocês sabem lá
Eu sou praticante assíduo
E não me tenho dado mal
Chego junto ao ouvido
E de palavra afiada cravo o punhal
Um crime quase carnal e perfeito
Que palavra afiada tanto crava
Nas costas como no peito
Depois disfarço meio contido
E ninguém me apanha com a arma na mão
Que os crimes ao ouvido
Também podem dar prisão
LC

Sem comentários: